Gestão de Pessoas

Técnica & Comportamento

12 Maio 2020 • por Impulso Consultoria • 0 Comentários

A importância de desenvolver todas as competências do seu time

É muito comum ouvirmos por aí alguém dizendo que as empresas contratam pessoas em razão das suas competências técnicas e as demitem em razão do seu comportamento. Para confirmar essa afirmação a Page Personnel, um dos maiores players mundiais de recrutamento especializado, fez um estudo que aponta que 9 em cada 10 profissionais são contratados pelo currículo e demitidos por conduta inapropriada, o que nos leva a crer que ainda hoje, mesmo com tantas novas técnicas e estratégias para a realização dos processos seletivos, as empresas ainda não conseguem ser tão assertivas nas contratações no que se refere à essas competências, seja pela dificuldade em avaliar ou em encontrar competências técnicas e comportamentais em um só profissional. Então, é hora pensar em como desenvolver as tais competências em nossos times. E é sobre isso que falaremos no artigo de hoje.

Chamamos de hard skills as habilidades voltadas ao conhecimento técnico das pessoas. São aptidões técnicas, certificações, e todos os processos formais de educação/formação que são possíveis de serem mensurados e inseridos nos currículos, como por exemplo contabilidade, marcenaria, proficiência em idioma estrangeiro ou operação de uma máquina específica. Essas competências podem ser formalmente aprendidas e geralmente são desenvolvidas através de treinamentos, cursos, feiras e eventos. A Amazon, por exemplo, através da dificuldade em preencher vagas em aberto, notou a escassez de bons programadores e profissionais de tecnologia no mercado, e para solucionar o problema criou o Upskilling 2025”, um programa de treinamentos que desenvolverá competências voltadas à tecnologia da informação e engenharia de software em até um terço do próprio quadro de funcionários pelos próximos seis anos.

De outro lado, no início de 2020 a farmacêutica MSD Saúde Humana tinha o objetivo de desenvolver em seus funcionários a criatividade para resolução de problemas, liderança, senso de equipe e comunicação. Para isso, desenvolveu um treinamento em que durante dois meses um grupo de funcionários precisou criar, em conjunto, uma máquina de pinball – um famoso jogo eletrônico. Segundo um dos diretores da companhia a equipe teve uma sinergia de trabalho incrível e tornaram-se multiplicadores, influenciando positivamente outros colegas a ter, dentre outras características, espírito de equipe e pensamento ágil. O objetivo da MSD era desenvolver na equipe algumas soft skills, que são habilidades e competências relacionadas ao comportamento e às características pessoais do ser humano, exatamente por esse motivo, são consideradas intangíveis e mais difíceis de mensurar. O modelo do treinamento que a MSD proporcionou aos funcionários vem sendo replicado por várias empresas,já que a melhor maneira de exercitar competências comportamentais é colocando-as em prática.

Não é uma missão fácil encontrar profissionais que tenham todas as competências – técnicas e comportamentais necessárias para ocupar um cargo, em especial no que se refere às soft skills. Um motivo para isso é que os sistemas de ensino, na maior parte das vezes, preparam os profissionais tecnicamente, mas não tem foco em desenvolver as habilidades comportamentais e sociais, que são justamente àquelas que fortalecem nosso lado humano e nos diferenciam das máquinas. São as soft skills – hoje ainda não tão valorizadas quanto deveriam – que diferenciam as pessoas umas das outras (e os técnicos uns dos outros), ou seja, fazem das equipes o diferencial de competitivo das empresas.

O que vimos nos exemplos da Amazon e da MSD são empresas investindo em desenvolver em suas equipes as competências – técnicas ou comportamentais – que lhes faltam. Mas, você saberia dizer qual delas é mais importante? A resposta é: as duas! As hard skills e as soft skills não se dissociam, mas se complementam de forma a criar um potencial de geração de resultados acima da média – comparado com equipes que carecem de alguma delas. Tão importante quanto saber programar um software – partindo da demanda inicial que é puramente técnica – é conseguir entender as necessidades do usuário, criar melhores alternativas que otimizem a usabilidade do sistema, que torne as interfaces mais simples para os usuários e, portanto, gere valor adicional ao produto. Perceba que programar um software é algo complexo, mas utilizar as competências comportamentais para fazer do trabalho técnico algo que gere valor para além da demanda inicial é ainda mais complexo.

Assim, entendemos que as hard e as soft skills juntas compõe o perfil dos profissionais que fazem a diferença nos resultados das empresas, e que tais competências dependem de um movimento contínuo de desenvolvimento, já que as técnicas estão sempre em atualização e os comportamentos podem sempre ser aperfeiçoados e fortalecidos em cada um de nós. Sendo assim, é possível afirmar que as empresas que se destacam em seus mercados são aquelas que investem continuamente em suas equipes e proporcionam um ambiente favorável ao desenvolvimento das pessoas, garantindo assim uma constante elevação dos níveis de qualidade na realização das atividades que culminam em excelentes resultados.

*Este texto foi escrito pela equipe da Impulso Consult. Fique à vontade para compartilhá-lo, não se esquecendo de incluir os créditos ao autor.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post