fbpx
Gestão de Pessoas

Como atrair e selecionar os melhores profissionais?

22 jan 2020 • por Impulso Consultoria • 0 Comentários

A tecnologia como aliada no processo de recrutamento & seleção

As transformações trazidas pelo avanço da tecnologia tornaram o mundo corporativo mais competitivo, e isso exige que a área de Recursos Humanos das empresas tenha cada vez mais uma atuação estratégica, ou seja, orientada ao cumprimento dos objetivos da companhia. Dentre outros fatores, uma empresa só atinge seus objetivos se tem equipes excepcionais, que estejam à postos para percorrer o caminho até o topo e preparadas para enfrentar os desafios que o mercado atual impõe, como agilidade, inovação e assertividade. No post anterior aqui no Blog da Impulso, falamos sobre o processo de Recrutamento & Seleção, que é o primeiro passo para a construção de equipes de sucesso. Mas, o que as empresas estão fazendo para atrair e selecionar talentos e assim, construir equipes de alta performance?

Além de modificar o mundo dos negócios, a tecnologia trouxe inúmeras ferramentas que contribuem para que dia a dia, o RH deixe de lado o seu caráter operacional e desenvolva estratégias mais bem estruturadas, que se desdobrarão em ações personalizadas ao negócio, com foco na cultura e objetivos da companhia. Nesse sentido, no momento da contratação de profissionais, o foco sai da técnica e volta para as competências, o que traz cada vez mais novidades ao processo de Recrutamento & Seleção.

Se você é funcionário de uma empresa, certamente já passou por uma entrevista, certo? Isso porque a entrevista é o elemento mais conhecido de todo processo de R&S. Utilizada pela maioria das empresas, busca através de perguntas saber mais detalhes dos candidatos à vaga. Porém, alguns desses detalhes podem não ser percebidos e por isso, além da entrevista, as empresas têm investido na utilização da tecnologia para atrair e selecionar os melhores profissionais

Um bom exemplo disso é o Google, gigante da tecnologia, que sempre figura no topo das listas de empresas em que os profissionais mais desejam trabalhar. Por lá, o processo seletivo é composto de perguntas pouco usuais e ferramentas de análise de dados. Perguntas como “quantas bolas de golfe cabem em um ônibus?” ou “quanto você deveria cobrar para lavar todas as janelas da cidade?” buscam medir o nível de criatividade do candidato, enquanto os softwares analisam informações voltadas a tendências comportamentais e a cultura da companhia. Na Ambev, há relatos de processos de seleção em que os candidatos passam até dois dias na sede da empresa participando de palestras e atividades práticas sobre o negócio, conduzidas por funcionários. É uma forma de fazer com que os candidatos coloquem a “mão na massa”, o que concede aos recrutadores informações sobre como o futuro funcionário se comportaria no ambiente de trabalho e o quanto conhece do mercado e da organização.

No Magazine Luiza, o processo de R&S é bastante automatizado. Nele, os profissionais se candidatam às vagas através de plataformas online que instantaneamente analisam as informações e sinalizam ao recrutador os perfis mais aderentes àquele cadastrado para a vaga. Além disso, a empresa utiliza assessments ou ferramentas de avaliação de perfil, para analisar com maior número de detalhes as tendências comportamentais e habilidades dos participantes. Outra tendência que empresas como Nubank, Cargil e Danone já aderiram é a “seleção às cegas”. Nesse modelo, nos primeiros contatos com o candidato, informações como gênero, idade, escolaridade não são fornecidas ao recrutador, o objetivo é garantir a diversidade na companhia, e para que isso aconteça, as contratações devem acontecer sem levar em conta as opiniões de cunho pessoal que constantemente influenciam recrutadores.

Dica: Em 2013, o jovem chamado Guy Lachting foi contratado para o cargo de trainee na Heineken, uma das empresas mais cobiçadas por profissionais no mundo todo. Mas, você imagina como foi o processo seletivo naquela ocasião? O vídeo com as etapas nada convencionas do processo ficou muito famoso na internet. Se você ainda não viu, clique aqui e divirta-se!

Portanto, o processo de recrutamento e seleção somente pode ser considerado estratégico se garante a contratação de talentos bem capacitados, engajados e adequados à cultura e valores organizacionais. As práticas utilizadas pelas grandes empresas, podem ser adaptadas a outras de qualquer porte e segmento, o importante é que todas as ações estejam alinhadas com o que cada empresa precisa e deseja nos futuros membros da equipe. Tão importante quanto ter um processo de R&S ágil ou inovador é fazê-lo de forma assertiva, o foco deve ser o resultado, já que esse é o processo que provê o ativo mais importante das organizações: as pessoas.

*Este texto foi escrito pela equipe da Impulso Consult. Fique à vontade para compartilhá-lo, não se esquecendo de incluir os créditos ao autor.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post
Empreender é uma aventura! A cada dia o empreendedor experimenta uma quantidade enorme de riscos e incertezas que, por vezes, faz com que nos sintamos totalmente vulneráveis e tenhamos dúvidas sobre nossa capacidade de seguir em frente 🤔😥

E é exatamente sobre ser vulnerável e seguir em frente a Dica da Impulso de hoje! 🤓📖

Escrito pela Dra. Brené Brown, professora e pesquisadora na Universidade de Houston no Estados Unidos, o livro “A coragem de ser imperfeito” traz lições preciosas sobre como utilizar a vulnerabilidade a nosso favor, e nos ensina que ser vulnerável é, na verdade, um ato de coragem. 

Esperamos que essa leitura te traga mil insights e te ajude a seguir em frente com coragem! 🚀💪🏼
Uma das questões mais encontradas nas pequenas e médias empresas está relacionada com a insegurança do empreendedor na hora de gerir 😰

É muito comum ouvir frases como “nunca fiz isso antes”, “não sei se é assim que faz”, “não tenho experiência com isso”, “não sei se era a melhor forma de fazer”, e por aí vai...

E a verdade é uma só: para ter confiança na gestão você precisa ter um bom plano e processos estruturados, que sejam condizentes com a realidade da sua empresa ✅

Boa gestão é aquela que funciona para a SUA empresa. Então, quando for analisar sua gestão, considere a maturidade do seu negócio, a estrutura, o caixa disponível e seus objetivos, e avalie se a gestão que vem fazendo tem coerência. E, acima de tudo, seja honesto consigo e certifique-se de que você está fazendo o máximo – o seu melhor 🏭💰🎯

Para fazer boa gestão você não precisa do melhor software do mercado, uma equipe numerosa ou qualquer outra coisa. Você precisa apenas ter confiança de que o seu plano e suas ações fazem sentido para a SUA empresa. 

Se você estiver sendo coerente e consistente dentro da SUA realidade, tenha tranquilidade e confie na sua capacidade de cuidar da sua empresa 😌💪🏼

Como diria @cortellaoficial: “faça o teu melhor, na condição que você tem, enquanto você não tem condições melhores, para fazer melhor ainda!”

Agora, conta pra gente nos comentários: você está confiante na gestão que tem feito ou às vezes bate uma certa insegurança? 👇🏼👇🏽👇🏾
❓ Quantas mudanças ocorreram na sua empresa desde o início da pandemia?

❓ Quantas soluções para problemas antigos você encontrou quando não restou outra alternativa a não ser se reinventar?

❓ Quantas ideias foram testadas, algumas aprovadas e outras reprovadas, enquanto você tentava fazer sua empresa seguir em frente apesar da crise?

Se você conseguiu responder positivamente a alguma dessas questões, agora você já sabe que é possível se reinventar – e melhorar – sem precisar depender de fatores externos ✅

A única certeza que temos é que os mercados vão mudar sempre – e rápido. Então, planejar alternativas para sua empresa é algo que precisa ser constante. Precisa estar na sua agenda. Precisa estar na agenda da sua equipe 💬🗓️

Se essa pauta estiver no centro da sua estratégia, sua empresa pode sair na frente. Se não estiver, pode ser que ela seja empurrada rumo à mudança – e aí você vai ter que sair correndo atrás do prejuízo.

Conta para a gente nos comentários: por aí você costuma esperar que algo aconteça para buscar novas oportunidades para o seu negócio ou é do time dos que estão sempre inquietos pensando como fazer mais, melhor e diferente? 🤔
Muitas empresas têm adotado o people analytics como uma ferramenta para conhecer mais sobre suas equipes, tomar decisões mais assertivas e transformar positivamente o ambiente de trabalho 🔎🧑🏼‍🏭🧑🏽‍💻
.
Mas, será que todas elas sabem da importância e sobre como fazer isso de forma ética e transparente? ✅
. 
No texto publicado hoje no Blog da Impulso, falamos sobre o cuidado com as pessoas e como o sucesso do people analytics está intimamente relacionado à essas variáveis. 
.
O link para acessar o Blog está na nossa bio!
Mais do que nunca temos visto inúmeras iniciativas das empresas para motivar suas equipes para que tenham a melhor performance possível ✨🏆🤩

No entanto, será que essas altas doses de motivação, oferecidas através de mensagens de apoio, palavras de impacto, elogios, ambiente descontraído e outros agrados, são suficientes para garantir a performance do time? 🤔

A resposta é NÃO! Não importa quantas frases motivadoras você use com o seu time, o quanto você vibre na hora de se comunicar, nem quantos incentivos bacanas você ofereça para a equipe. O que faz uma equipe ser verdadeiramente motivada é a DIREÇÃO que você dá! ⬅️⬆️⬇️↗️

Para manter o time motivado o líder precisa ser bastante pragmático. Isso significa dar as coordenadas de forma que sua equipe consiga utilizar ideias e ações para solucionar problemas 🧭💡

No final do dia, eficiência se traduz em resultados. E nada é mais motivador do que saber que o trabalho feito gerou impactos positivos 🎯✅

Quer que sua liderança seja efetiva: dê a direção e apoie! Pode usar umas palavras de impacto no meio do caminho, mas garanta que sua equipe saiba por que e para onde está indo!
@impulsoconsult
Fale com a gente!
Saiba como podemos ajudar a impulsionar os resultados da sua empresa