fbpx
Finanças Corporativas

Quanto vale seu produto ou serviço?

13 jul 2020 • por Impulso Consultoria • 0 Comentários

O que levar em consideração para definir o preço de um produto ou serviço

Quando se trata de avaliar o sucesso dos negócios a maior parte das empresas tende a concentrar os melhores esforços em reduzir ao máximo os custos e despesas para poder maximizar os seus resultados. E, obviamente, essa é uma ação muito importante. Mas, tão ou mais importante do que avaliar custos e despesas é entender se o modelo de precificação adotado pela empresa está adequado, isto é, se reflete corretamente o valor do produto, se é capaz de suprir custos e despesas e se entrega a margem de lucro desejada.

A definição do preço é uma das primeiras dúvidas de qualquer empreendedor quando vai abrir um novo negócio ou mesmo lançar um novo produto e serviço. Isso porque há tantas variáveis a serem analisadas – estrutura da empresa, a estratégia do negócio e as necessidades de investimento – que definir o preço acaba se tornando uma missão complicadíssima.

Definir o preço adequadamente permite que a empresa:

1. “Veja a cor do dinheiro no fim do mês”. Isto é, evita que a empresa pratique preços que sejam insuficientes para cobrir custos e despesas e com isso o caixa esteja sempre zerado. Parece absurdo pensar que alguém escolha cobrar um valor abaixo dos custos e despesas, mas é verdade que isso acontece muitas vezes, de forma involuntária, pelo fato de não estarmos completamente atentos na hora de calcular o preço.

2. Cobre um preço coerente com o mercado em que atua, considerando sua estrutura de custos e despesas, o valor oferecido, o preço médio dos concorrentes diretos e a disposição/capacidade financeira do cliente para pagar.

3. Consiga “brigar” por uma maior participação de mercado, e assim se tornar mais relevante no segmento em que atua através venda de produtos e serviços que tenham preços competitivos, isto é, nem tão altos e nem tão baixos.

Sendo a precificação tão importante, trouxemos 3 metodologias que vão ajudar a analisar e a calcular melhor os preços de produtos e serviços.

Por markup: o markup é a diferença entre o preço de venda e o custo, e consiste na simples adição de um percentual acima do custo e despesas comerciais.

De forma simplificada, imagine uma empresa que fabrica bolas de futebol. Se os custos e despesas para a fabricação de uma bola forem de R$ 10,00 e a empresa desejar uma margem de lucro de 100%, o preço de venda será de R$ 20,00.

Essa é uma das metodologias mais simples. Mas, cuidado! Para que ela seja adequadamente aplicada é necessário se atentar para uma correta análise da estrutura de custos e despesas. A gente vai tratar disso no próximo artigo!

Por diferença entre preço e valor: enquanto o preço é um número dado pelo vendedor (e por isso é um critério objetivo), o valor está relacionado com a disposição do comprador em pagar. Ou seja, quanto maior a percepção dos benefícios oferecidos pelo produto ou serviço, maior a disposição a pagar. Enquanto que, quanto menor a percepção do benefício (como no caso das commodities), menor a disposição a pagar, independentemente do preço.

Imagine que você precisa levar seu carro em uma oficina mecânica pela manhã para uma revisão de rotina. Na oficina A você precisa levar o carro e torcer para que tenha alguém disponível para lhe atender na hora que você precisa. Já na oficina B você tem a conveniência de marcar o horário, ter certeza de que será atendido e ser recebido por um profissional que estava à sua espera, e ainda te oferecem um serviço que te leva até o trabalho. Ainda que os serviços realizados sejam os mesmos, com certeza você pagaria mais pelos serviços da oficina B do que pelos da oficina A. Afinal de contas, há tantos benefícios adicionais que vale a pena pagar um pouquinho mais caro, certo?

Por comparação com o mercado: com o processo de tomada de preços pelos vendedores, há uma tendência a existir uma “faixa média de preço” para determinado tipo e nível de serviços, que pode ser conhecida observando-se os preços praticados pelos concorrentes, com exceção dos mercados de luxo, que tem uma dinâmica um tanto particular.

Pense que você utilizou a metodologia do markup e calculou o preço do seu produto. Agora avalie se:

I) Comparado com meus concorrentes principais, o preço ficou muito acima ou abaixo?

II) Se ficou muito abaixo, vale a pena avaliar quais as possíveis razões. Você considerou os custos e despesas corretamente? Como é a sua estrutura em comparação com a de seus concorrentes? É muito menor?

III) Se ficou muito acima, vale a pena fazer as mesmas comparações acima, e ainda analisar se o percentual de margem de lucro aplicado é razoável ou é alto demais.

IV) O valor oferecido pelo seu produto ou serviço justifica uma disparidade de preço significativa? Se a disparidade for para cima, os seus potenciais clientes/consumidores estariam dispostos a pagar?

Considerando as metodologias acima apresentadas, você consegue avaliar como está a precificação do seu negócio? E além de avaliar, se você quer aprimorar o cálculo do preço do seu produto ou serviço, confira o nosso próximo artigo, onde vamos explicar com detalhes o que deve ser considerado na hora de calcular o custo por markup.

*Este texto foi escrito pela equipe da Impulso Consult. Fique à vontade para compartilhá-lo, não se esquecendo de incluir os créditos ao autor.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post
Nossa dica de hoje é especial para todos aqueles que colocam o coração em tudo que fazem! 😍

Se intensidade é o seu segundo nome, você vai AMAR ouvir a entrevista incrível realizada pela equipe do @podcastatitudeempreendedora com Paulo Correa, CEO da C&A 👚👖👗

Gravado no início da pandemia, Paulo fala sobre como o trabalho remoto promoveu um aumento significativo da colaboração entre as pessoas, sobre a humanização das empresas e sobre quais são os fatores decisivos para contratar um profissional para seu time.

Paulo é um daqueles líderes intensos, que coloca o coração nas relações, que ouve atentamente e que sabe que, quanto mais os líderes se conhecem mais são capazes de influenciar e conduzir as pessoas a sua volta.

Se você, assim como nós, está sempre buscando ser um gestor ou gestora melhor, com certeza vai curtir essa dica! 🤩😉
Você já parou para pensar sobre quando é a hora de mudar de ideia sobre algo? 🤔💭

Se você tem uma ideia e vem trabalhando duramente nela, mas não tem conseguido atingir os resultados que deseja ou precisa, talvez seja interessante avaliar se não é hora de abandonar o plano inicial e mudar os rumos ⬆️↗️

É sempre frustrante abandonar um projeto que parecia incrível. A sensação de que está fazendo as coisas erradas ou de não saber como atingir os resultados com certeza causam muito desanimo e frustração 😔

Mas é justamente nessa hora – do desanimo e frustração - que você precisa se lembrar que o caminho do empreendedorismo não é linear e que há inúmeras possibilidades a serem aproveitadas, que você só irá descobrir na hora que tirar o foco do problema e começar a focar em buscar novas soluções 💡

Se você tiver um olhar atento [a gente te ajuda com isso, tá?!] você poderá mudar completamente seu produto/serviço, estratégia comercial, metas financeiras, forma de gerir a equipe, e tudo o mais que achar necessário para ser um sucesso! 🤩

Conta pra gente: tem algum projeto aí que merece ser repensado, reformulado ou abandonado?
É super comum as pessoas acharem que a área financeira é a área mais importante da empresa, porque é a que controla o dinheiro. Mas isso não passa de um enorme MITO! 👎🏾

A área financeira é uma área de suporte, que ajuda a empresa a entender se as estratégias comercial e operacional são financeiramente viáveis e rentáveis, que faz as transações financeiras [pagar e receber] e que controla e analisa os números para garantir que tudo está saindo conforme planejado 🔎📈📊

Não existe, em uma empresa, uma área mais importante que as outras. Todas as áreas são importantes!

É fundamental que todas trabalhem juntas, dando informações e suporte umas às outras, para que todas possam oferecer as melhores soluções para os clientes. Afinal, o sucesso é construído em conjunto! 🤝🏆
Todos os dias surgem milhares de ideias. Algumas incríveis, outras bem simples 💡

Muitas ideias incríveis morrem logo após surgirem. Algumas ideias simples tornam-se um sucesso.

O que faz uma ideia ser um sucesso não tem a ver com ser incrível, inédita ou revolucionária. O que faz uma ideia ser um sucesso é a forma como ela é EXECUTADA 💪🏽⚒️

Depois de ter uma ideia, que é O QUE você quer fazer, você precisa investir tempo em estudar e planejar a forma COMO você vai fazer essa ideia funcionar. E, depois disso, trabalhar duramente [e sem pressa] para executar cada passo do seu plano com excelência.

Parece simples. Mas sabemos que não é! 😥

Para executar um plano com excelência é preciso ser apaixonado pelo problema a ser resolvido, e não pela ideia em si.

Então, preocupe-se mais em EXECUTAR COM EXCELÊNCIA do que em ter ideias mirabolantes. Afinal, como sabiamente disse o Andy, “Ideias são fáceis. Execução é tudo.” 🚀👊🏼
Você já parou para pensar sobre...

❓Quem precisa do serviço/produto que você vende?
❓Por que esse potencial cliente precisa desse produto/serviço?
❓Por que esse potencial cliente precisa comprar de você e não do seu concorrente?

Analisar essas questões permite que você avalie se:
• o tipo de produto/serviço que você oferece é o que o seu público realmente deseja/precisa.
• a qualidade oferecida atinge as necessidades e expectativas.
• o preço é competitivo e reflete o valor do produto/serviço.
• a forma de apresentação é atrativa.
• a forma de se comunicar é eficiente [meios de comunicação, vocabulário utilizado, material de propaganda etc.].

Se você costuma avaliar essas questões, então, com certeza está na liderança! 🥇

Se não costuma avaliar porque não sabe muito bem como fazer isso, clica no link na nossa bio e agenda o seu diagnóstico de gestão gratuito, que nós te ajudamos com essa missão!
@impulsoconsult
Fale com a gente!
Saiba como podemos ajudar a impulsionar os resultados da sua empresa