fbpx
Finanças Corporativas

Qual Custo? – Parte II

04 ago 2020 • por Impulso Consultoria • 0 Comentários

Como classificação correta dos custos pode te ajudar a gerir melhor

No artigo que publicamos anteriormente, explicamos quais são os conceitos de custos existentes e as diferenças entre eles. Contudo, independentemente do conceito utilizado, para que possamos gerir adequadamente os custos dos produtos e serviços, e com isso manter as margens brutas de lucro satisfatórias, é necessário que façamos uma classificação correta e precisa dos custos envolvidos. E é sobre isso o nosso artigo de hoje.  

Ao analisarmos os custos, é importante atentar-se para 2 perspectivas:

( 1 ) Como esse item é aplicado/utilizado no processo de produção e/ou prestação do serviço;

( 2 ) Se existe variação entre o valor total do custo e o volume de produção e/ou prestação do serviço.

Ao analisarmos a primeira perspectiva, perceberemos que alguns custos são aplicados diretamente no produto que está sendo produzido, enquanto outros são aplicados indiretamente.

Pense, por exemplo, na estrutura de custos da fábrica de bolachas que apresentamos no artigo anterior. Ela é composta por farinha, açúcar, aromatizantes, conservantes, energia elétrica e mão-de-obra. Os primeiros 4 itens da lista devem ser medidos (em quilograma) e aplicados diretamente no produto, enquanto a energia elétrica é utilizada nas máquinas da área produtiva, mas também nos vestiários, no escritório do gerente industrial e no pátio da área de expedição. Logo, ela é utilizada para produzir as bolachas, mas de forma indireta, visto que não conseguimos medi-la diretamente aplicado ao produto. Logo, enquanto alguns custos (farinha, açúcar, aromatizantes e conservantes) podem ser classificados como DIRETOS, que é medido e aplicado diretamente ao processo, outros, como a energia elétrica, podem ser classificados como INDIRETOS, cuja mensuração sobre quanto é aplicado ao produto é estimada e imprecisa.

Vale comentar que cada empresa tem uma dinâmica diferente e, por isso, é importante que se avalie cada componente de custos da operação para entender como ele é aplicado no processo produtivo, e assim realizar a correta classificação entre custos diretos e indiretos.

Já no que se refere à segunda perspectiva mencionada acima, relacionada com a variação entre o valor total do custo e o volume de produção e/ou prestação do serviço, o ponto principal a ser analisado é:

se houver um aumento do volume de produção durante um determinado período haverá também um aumento nos custos?” 

Se a resposta para a pergunta acima for “sim, haverá aumento”, então, esse custo deve ser considerado como VARIÁVEL, pois, ele pode oscilar para cima ou para baixo, a exemplo do que acontece com os insumos diretos do nosso exemplo da fábrica de bolachas. Quanto maior o número de unidades produzidas, maior o custo do período com farinha, açúcar, aromatizantes e corantes.

Se a resposta para a pergunta acima for “não, independente de quanto é produzido o custo do período é o mesmo”, então, esse custo deve ser classificado como FIXO, uma vez que ele irá sempre existir, independentemente se a empresa produzir mais ou menos.

Sobre os custos fixos, vale comentar que ele não é imutável, ou seja, o valor pode variar a cada mês em decorrência de acordos comerciais, taxas de juros e/ou índices de reajustes acordados. Um bom exemplo são os alugueis, que podem ser reajustados a cada período de tempo (e, por isso, ter valores diferentes em cada período), mas continuam sendo fixos, pois, independente do quanto foi produzido, o preço de locação acordado para o período continua sendo o mesmo.

A correta classificação dos custos permite às empresas que avaliem corretamente se um produto é rentável ou não, bem como qual é o ponto de máxima eficiência econômica.

Imagine o caso da nossa fábrica de bolachas, que produz um item simples, muito similar aos seus principais concorrentes, e que está enfrentando dificuldades nas vendas devido a uma redução drástica de preços praticada por seus concorrentes. Para manter-se competitiva, a fábrica precisará reduzir os seus preços, e com isso, reduzirá também (de forma assustadora) suas margens. Neste caso, a correta classificação dos custos permitirá que a empresa avalie com clareza:

– em relação aos custos diretos e variáveis: (i) quais são os itens de maior custo; (ii) se existe espaço para negociar novos acordos com os fornecedores destes itens; (iii) se há outros fornecedores mais baratos; (iv) se há insumos similares e substitutos com menor custo unitário.

– em relação aos custos indiretos: (i) analisar se estão sendo eficientemente aplicados; (ii) analisar se são, de fato, necessários; (iii) ponderar sobre os impactos da substituição deste item por similares mais baratos, considerando que há outros produtos que também podem ser afetados.

– em relação aos custos fixos: (i) analisar qual a capacidade máxima de produção possível e verificar se há mercado para absorver toda a demanda; (ii) avaliar se possíveis expansões operacionais podem ser inviabilizadas pelo risco de aumento destes custos.

Repare que para cada classe de custos há várias opções de análise, e que para priorizar determinadas análises e decisões é necessário saber exatamente para onde olhar primeiro, ou seja, o que é mais importante dentro da estrutura de custos.

E na sua empresa, como está a gestão dos custos? Esperamos que agora que você já sabe o que é fundamental sobre custos, possa tomar decisões ainda mais ágeis e assertivas.

*Este texto foi escrito pela equipe da Impulso Consult. Fique à vontade para compartilhá-lo, não se esquecendo de incluir os créditos ao autor.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post
Você acredita que as pessoas são fundamentais para o sucesso do seu negócio? 👨🏽‍💻👩🏼‍🔧👩🏻‍💼👨🏾‍🏭
.
Se você tem funcionários, já parou para pensar se eles formam uma verdadeira equipe ou se são apenas um grupo de pessoas trabalhando? 🧐🤔
.
No artigo publicado hoje no Blog da Impulso a gente te conta como formar uma verdadeira equipe de sucesso para ajudar sua empresa a alcançar resultados incríveis! 📈🚀
.
Acesse nosso blog clicando 'ACESSAR Conteúdos do Blog' no link que está na bio 👆🏻
Ter um time incrível é o sonho de todo gestor, especialmente se você é empreendedor e está em busca de um aliado para te apoiar no processo de crescimento da sua empresa 🚀💪🏼
.
E para te ajudar a escolher o melhor profissional para o seu time, nossa recomendação é que você observe os seguintes pontos 👇🏼🔎
.
1. Tenha uma descrição clara das atividades a serem realizadas ✍🏼
Saber as atribuições do profissional a ser contratado é fundamental para que você entenda qual é o perfil comportamental e experiência profissional desejados para ocupar a vaga. Isso ajuda você a fazer uma divulgação que atraia os profissionais certos para a sua empresa.
.
2. Estabeleça uma política salarial baseada nas atribuições e responsabilidades 💰
Uma remuneração justa e compatível com as responsabilidades do profissional é fundamental para que, ao longo do tempo, ele não se sinta desvalorizado (ou explorado).
.
3. Busque profissionais que se identifiquem com o propósito da sua empresa 🤩
É fundamental que os profissionais entendam claramente o propósito das empresas e compartilhem dos mesmos valores. Caso contrário, há grandes chances de o profissional não contribuir da forma necessária.
. 
4. Se tiver que escolher entre perfil comportamental e o técnico, fique com comportamental ⚖️
Competências técnicas e comportamentais são importantes e devem ser avaliadas durante o processo de seleção, mas, lembre-se que as competências técnicas podem ser desenvolvidas com mais facilidade, através de treinamentos, workshops, mentorias etc. Foco naquilo que é mais importante para a empresa no momento, mas na dúvida, prefira contratar pelas competências comportamentais!
.
Gostou das nossas dicas? Envie para aquele seu amigo que vive contratando, mas nunca dá certo!
Quase sempre, quando se está abrindo um negócio, o empreendedor se vê obrigado a cuidar de todas as áreas do negócio. É ele quem atende o cliente, vende, organiza as atividades do dia a dia, faz o pagamento das contas, etc.
.
Só que isso só é possível por um curto espaço de tempo. Porque à medida que a empresa cresce, a quantidade de tarefas passa a ser tão grande que o tempo já não é mais suficiente. E nesse momento você se vê em uma encruzilhada: fazer tudo sozinho com pouca qualidade ou contratar alguém (com muito esforço) e garantir um atendimento excelente para mais clientes.
.
Se as suas atividades estão organizadas e você está sem tempo, não hesite: contrate ajuda! Contratar uma equipe pode ser preocupante, afinal de contas, você passa a ter mais um obrigação para pagar. Mas, ter pessoas cuidando da sua empresa e dos seus clientes, permitirá que você tenha mais tempo para se concentrar em fazer seu negócio crescer.
.
Se depois de ler esse post você percebeu que é hora de contratar alguém para sua equipe, mas não sabe bem onde encontrar o melhor profissional e nem como descobrir se ele é a pessoa certa para trabalhar na sua empresa, manda um direct ou uma mensagem pelo WhatsApp (o link está na bio), que a gente te ajuda com isso.
.
Como diz o ditado “sozinho você vai mais rápido, em equipe você vai mais longe”. E a gente quer que a sua empresa tenha muito sucesso, e vá muito longe com uma equipe incrível!
Nossa dica de hoje é dedicada aos empreendedores que adoram ouvir ideias, conselhos e recomendações de pessoas de sucesso, que são cheias de atitude e que “acreditam que o empreendedorismo muda a realidade das pessoas.” 
 .
Se você é empreendedor, você PRECISA OUVIR o episódio “#03 Quem não mede, não gere!” no canal Camila Farani Podcast, disponível no @spotfybrasil. Esse podcast é uma aula de empreendedorismo incrível, em apenas 13 minutos! 🎧💬
.
Nesse episódio a @camilafarani, investidora anjo, participante Shark Tank Brasil e presidente da 2G Capital (boutique de investimento em startups) conta rapidamente o que você precisa medir para gerir bem o seu negócio, o que precisa considerar quando está buscando um investidor e como inovar no seu negócio a partir de tecnologias que já existem para que seu cliente consiga perceber o valor da sua empresa 🤔💰👨🏽‍💻
.
Depois de ouvir a aula da Camila Farani, deixa aqui os principais insights que você teve  e conta pra gente o que você vai fazer diferente para que o seu negócio possa decolar! 👇🏼👇🏼👇🏼 
.
#impulso #impulsoconsult #consultoria #consultoriaararaquara #dica #dicadaimpulso
Empreender é a forma que algumas pessoas têm para realizar seus sonhos de conquistar bens materiais e alcançar o sucesso. Mas, também é a forma que, aqueles que não se encaixam nas estruturas tradicionais e rígidas de algumas empresas, encontram para ganhar a vida.
.
E você: qual a sua razão? Por que você decidiu empreender? 
.
Lá nos stories a gente te conta por que NÓS decidimos empreender. Confere lá!
@impulsoconsult
Fale com a gente!
Saiba como podemos ajudar a impulsionar os resultados da sua empresa