Gestão Estratégica

Partindo para a AÇÃO – Parte II

10 set 2019 • por Impulso Consultoria • 0 Comentários

A importância da execução e por que é tão difícil executar um plano

Na primeira parte do “Partindo para a Ação” [se você não leu, clique aqui para conferir] mencionamos que para AGIR as empresas precisam pensar em dois pilares fundamentais, que são PESSOAS e EXECUÇÃO, e falamos muito brevemente sobre o papel das pessoas para o sucesso na realização da estratégia.

Hoje vamos falar sobre EXECUÇÃO. E, segundo Bossidy & Charam “executar é uma forma sistemática de expor a realidade e agir sobre ela” (2019, p.21).

Não é incomum que empresas elaborem estratégias sofisticadas para orientar a condução de seus negócios e ao final de um ano percebam que falharam, que os resultados não aconteceram como previsto e que os compromissos assumidos não foram cumpridos. Quando isso acontece, além do efeito óbvio da perda de dinheiro, uma vez que foram investidos tempo e dinheiro para realizar o que constava no planejamento estratégico, as equipes envolvidas experimentam a terrível sensação da derrota.

Você já fez a conta de quanto dinheiro foi investido em projetos que não trouxeram o retorno necessário? Quais são as razões que você encontrou para não ter conseguido os resultados esperados?

Via de regra, quando os resultados esperados não são alcançados os gestores tendem a ter todas as explicações em mãos: o mercado esteve ruim, a economia não se recuperou como previsto, a concorrência fez movimentos inexplicavelmente arrojados, e por aí vai. Mas, o que queremos aqui é que possamos superar o cenário de “não realização”, e isso só se dá quando encaramos a realidade de que não soubemos fazer exatamente o que precisava ser feito.

Na maioria das vezes os resultados das empresas não acontecem porque não há foco em executar de forma primorosa a atividade principal da empresa.

É normal que as empresas não façam uma leitura realista das condições da empresa para executar um determinado planejamento, seja por não conhecer profundamente os vários aspectos relativos ao negócio ou então por não acreditar na magnitude dos impactos que algumas variáveis podem causar à empresa.

Vamos exemplificar, com o case da Dell, que foi usado por Bossidy & Charam (2019, p.16).  Diferentemente do que seus concorrentes faziam no passado, a Dell sempre foi uma empresa que vendia sobre demanda. Isso significa que cada computador era produzido mediante a colocação do pedido pelo cliente. E mesmo que só começasse a fabricar mediante colocação dos pedidos, a empresa sempre manteve um prazo de entrega incrivelmente rápido. E isso só era possível porque a execução da empresa sempre foi impecável. Tendo uma cadeia de fornecedores muito alinhada com a sua política e uma sistemática operacional muito ajustada sempre foi possível para a empresa controlar seus custos, evitar criação de estoques desnecessários e gerar um fluxo de caixa maior e rentabilidade muito acima do segmento. Em resumo: ter uma execução impecável fez com que a Dell atendesse seus clientes bem [entrega rápida], oferecesse os produtos mais modernos [não tem estoque de produtos antigos que precisa ser vendido] e gerasse excelente resultado para seus acionistas [entre várias razões, porque não desperdiça dinheiro e porque o cliente é fiel à qualidade do produto e do atendimento e por isso está sempre disposto a pagar um pouco mais].

Agora queremos que você pare para pensar: como anda a execução da sua empresa? Sua empresa tem uma execução como a da Dell, onde cada atividade/estágio de produção é acompanhada meticulosamente? Qual é o tamanho e o giro do seu estoque? Você tem produtos que ficam parados no estoque e que perdem o atrativo para o cliente e que no final precisa ser vendido a preço de custo? O seu produto sofre obsolescência no estoque e por isso perde atratividade?

Muitos leitores podem pensar, “mas a minha empresa não é grande como a Dell”. E a nossa resposta para quem pensa assim é: “para ter resultado você não precisa ser grande, você precisa ser BOM no que faz!”

Se você tem um produto ou um serviço e espera que seu negócio traga resultados, então, você deve agir como a Dell e ter em mente que entre o que se deseja e o atingimento de resultados há um único meio: EXECUTAR PRIMOROSAMENTE, fazer o que tem que ser feito de forma impecável. Para isso, sugerimos que você avalie os seguintes pontos na sua empresa e avalie como anda sua execução:

  • Faça um mapeamento dos processos críticos de sua empresa e responda às seguintes perguntas: [1] você sabe o que precisa ser feito e como fazer? [2] as pessoas responsáveis por fazer tais atividades sabem O QUE precisa ser feito e COMO fazer? [3] quais destes processos foram revisados nos últimos 6 meses, levando em conta as mudanças de mercado, lançamento de novos produtos ou oferta de novos serviços pelos seus concorrentes?
  • Quanto tempo sócios e gestores de sua empresa investem mensalmente para avaliar a estratégia, as pessoas e as operações da empresa?
  • Qual o nível de envolvimento e de responsabilização dos sócios e gestores em relação à estratégia, às pessoas e às operações da empresa?

Se você não tem resposta para as perguntas acima ou se suas respostas não te parecerem suficientemente positivas, talvez seja hora de abandonar as antigas justificativas e focar no que precisa ser feito: cuidar da sua EXECUÇÃO para que ela se torne impecável.

Esperamos que com esse texto você possa refletir sobre como anda a qualidade da execução da estratégia que você definiu para a sua empresa e consiga implementar melhorias com o intuito de ter resultados melhores do que os que você já tem.

E para ajudá-los com a missão de ter uma execução impecável, nos próximos posts vamos falar sobre PESSOAS. Não importa o seu ramo de negócio, as pessoas são e serão sempre as maiores responsáveis por transformar um produto ou serviço em resultados incríveis. Queremos que você encare seu time como INVESTIMENTO! Pessoas são um RECURSO precioso e precisam ser geridas como tal!

Conte para nós como anda a sua execução e quais são suas dúvidas. Vamos adorar ajuda-los a transformar seus projetos em realizações incríveis!.

1 BOSSIDY, Larry e CHARAM, Ram. Execução: a disciplina para atingir resultados. Rio de Janeiro: Alta Books, 2019.

*Este texto foi escrito pela equipe da Impulso ConsultoriaFique à vontade para compartilhá-lo, não se esquecendo de incluir os créditos ao autor.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post