Impulsionando Negócios

O lado bom do lado ruim

02 dez 2020 • por Impulso Consultoria • 0 Comentários

O ano de 2020 ficará marcado na memória de todos os empreendedores como “o ano da reinvenção”. Não aquela reinvenção voluntária que acontece quando as estratégias adotadas já não geram mais os efeitos desejados, mas aquela necessária para garantir a sobrevivência das empresas.

Contudo, infelizmente, há uma quantidade enorme de empresas que não conseguiram se reinventar, e por isso, fecharam as portas.

E o que é que diferencia as empresas que estão conseguindo das que não conseguiram passar pela crise? A resposta está no planejamento! As empresas que têm o hábito de ter um planejamento estratégico de médio e longo prazos, geralmente costumam destinar um tempo na agenda, periodicamente, para avaliar o contexto em que estão inseridas, considerando os riscos associados ao negócio de forma ampla. E foram essas empresas que, observando o que acontecia na China (importante fornecedor mundial), conseguiram perceber que se algo de muito errado ocorresse por lá, as coisas por aqui também poderiam se complicar.

Essa consciência tornou possível às empresas mensurar um pouco melhor os riscos que estavam correndo, e desta forma, tiveram a oportunidade de avaliar com clareza o que lhes era possível ou não em termos tecnológicos, financeiros e de gestão de pessoas, pensar em soluções para reduzir os riscos durante a pandemia, e também criar alternativas para operar de forma eficiente, econômica e moderna dentro de um ambiente conturbado e cheio de restrições.

E se pensarmos que eficiência, economia e modernidade são requisitos para garantir a competitividade em qualquer estágio da vida das empresas, é inegável que aquelas empresas que estão conseguindo contornar os problemas ocasionados pela crise sairão dela melhor preparados para criar soluções para seus negócios continuamente, aumentando muito a chance de se tornarem empresas mais sólidas e buscarem por posições de destaque em seus mercados.

Então, apesar de toda a tristeza trazida pela crise e pela bagunça causada no mercado como um todo, é possível ver que existe um lado bom neste cenário ruim, e abaixo a listamos aqueles que, em nossa avalição, foram os mais importantes.

Quem planeja sai na frente: na detecção de riscos, na elaboração de soluções e na resolução dos problemas.

A necessidade é a mãe da criatividade: para criar algo novo você não precisa ser criativo, você só precisa ter uma necessidade real.

Afinal de contas, no exato momento em que as empresas perceberam que não seria possível continuar funcionando da forma tradicional, todas foram obrigadas a inovar de alguma maneira, muitas delas migrando de operação 100% presenciais para o mundo digital com enorme sucesso.

As fronteiras foram expandidas: existe um mercado enorme a ser explorado, não se limite!

Se algumas empresas se contentavam em atender apenas os clientes que estavam localizados próximos às suas lojas, restaurantes e escritórios, com a crise elas descobriram novos públicos consumidores e puderam identificar novas oportunidades de expandir suas operações.

Estando todos longe um dos outros, a proximidade nas relações se tornou um capital precioso: existem milhares de produtos à venda e o cliente vai escolher comprar daquele que proporcionar a ele a melhor experiência – e isso só pode ser garantido se as marcas se relacionarem com o cliente.

O aumento do consumo online e o distanciamento físico entre empresas e clientes fez com que as empresas precisassem investir mais em comunicação para se relacionar com seus clientes, elevando assim os seus padrões de qualidade de atendimento.

Novos tempos, novas demandas: estar atendo às necessidades do consumidor e ouvi-los pode ser a melhor coisa que a sua área de Pesquisa e Desenvolvimento pode fazer.

Com a mudança nos hábitos causadas pelo isolamento, as empresas precisaram revisar seus portfólios de produtos e serviços para se adequar ao novo momento, gerando assim um ambiente de criatividade e inovação, que se for mantido, pode ser o motor de crescimento e diferenciação para elas daqui em diante.

Se a sua empresa está passando pela crise, convidamos você a refletir quais foram as ações que você realizou que podem ser mantidas no pós-crise e que ajudarão a sua empresa a crescer e se destacar no seu mercado, bem como verificar quais são as oportunidades que vocês ainda não aproveitaram mas aproveitarão a partir de agora.

Esperamos que a nossa retrospectiva ajude você a encontrar o lado bom do lado ruim, e usá-lo para impulsionar seus negócios!

*Este texto foi escrito pela equipe da Impulso Consult. Fique à vontade para compartilhá-lo, não se esquecendo de incluir os créditos ao autor.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post