Gestão de Pessoas

A liderança nas pequenas empresas

09 jun 2020 • por Impulso Consultoria • 0 Comentários

Nos últimos 3 artigos, aqui do Blog da Impulso, nós falamos sobre as funções dos líderes, o papel da liderança na construção do sucesso de longo prazo, bem como quais são os comportamentos que podem ajudar os líderes a serem melhores e mais eficientes em suas funções. E, para sermos sinceras, não há nada de novo no que dissemos. Aparentemente, os bons líderes já sabem tudo o que falamos.

Racionalmente, é muito claro que, para alcançar resultados incríveis, precisamos que as pessoas que estão à frente das nossas operações – os líderes – sejam pessoas altamente desenvolvidas e conscientes da importância do seu papel. Mas, o que acontece quando as pessoas – os líderes – à frente das nossas operações são os famosos  “EUpresários”?

Para quem não sabe, os “EUpresários” são aqueles seres malucos, que decidem empreender em pequenos negócios, que são os responsáveis por planejar, prospectar clientes, prestar os serviços (ou vender os produtos), fazer o pós-venda, cuidar das finanças, e ainda acumulam a função de manter o seu pequeno quadro de funcionários trabalhando de forma organizada, produtiva e motivada.

Para as pequenas empresas o esforço para fechar o mês no azul já é grande o suficiente, e quase sempre não sobra tempo para o empreendedor-gestor-líder lidar com as necessidades das pessoas que compõem a sua equipe. E, sinceramente, diante de tantos desafios operacionais e financeiros, é de se esperar que as pessoas não sejam mesmo a prioridade número 1.

E quando dizemos isso claramente não estamos de forma alguma tecendo críticas. É apenas a constatação de um fato – e de um problema.

Quanto mais nos concentramos em cuidar dos assuntos da operação – clientes, concorrentes, contas, processos etc. – e menos nos dedicamos às pessoas, maior é a percepção de desvalorização da equipe, e menor é o desejo deles de gerar valor para a empresa.

A consequência desta postura é que, contando com um time muito pequeno, corremos o risco de ter ao nosso lado pessoas que, infelizes com a situação, podem influenciar negativamente todos a sua volta, gerando um ciclo vicioso de insatisfação e baixa performance em massa. E Como bem mencionou Simon Sinek1, “para líderes de companhias que pensam que é ok priorizar os números antes das pessoas, considerem os resultados que sucedem essa cadeia de eventos

Então, nosso conselho para quem tem um pequeno negócio é: otimize ao máximo seu processo e encontre tempo para cuidar do seu time e fazê-lo produtivo. Busque ajuda para lidar com a gestão [conte com a gente!], utilize um CRM, implante um software simples de gestão, adote o uso de ferramentas de gestão de processos [existem alguns ótimos e gratuitos], utilize ferramentas de videoconferência e vídeo chamada para se reunir virtualmente e mantê-los ao seu lado especialmente no cenário de pandemia em que vivemos nesse momento. Enfim, cuidar, treinar, estimular e valorizar quem está ao nosso lado nunca é demais.

A gente nunca se cansa de falar: quanto mais você cuidar das pessoas, melhor elas cuidarão dos seus negócios.

*Este texto foi escrito pela equipe da Impulso Consult. Fique à vontade para compartilhá-lo, não se esquecendo de incluir os créditos ao autor.

Comente Aqui
Posts Anterior
Próximo Post